Tudo começou no fim de fevereiro.
Um dia acordei com coceira nos braços e nas pernas, algo que lembrava a coceira de três semanas só que a coceira de três semanas antes tinham uma razão bem justificada, a dengue.

Confesso que não dei muita atenção a coceira até o quarto dia seguido em que mal conseguia dormir a noite. A coceira vinha acompanhada de vergões que desapareciam da mesma maneira misteriosa com a qual surgiram, migrando depois de um tempo para outra parte do tempo.
Lidei com a situação da mesma maneira que lidava quando sentia reação alérgica a porco: tomava meu antialérgico de costume e esperava passar. Porém, a coceira e os vergões sempre voltavam, foi quando decidi procurar uma dermatologista.

Na primeira consulta com a dermatologista recebi o diagnóstico de urticária e passei pelos primeiros impactos: tratamento com corticoide + antialérgico por cerca de 10 dias e os primeiros cortes na alimentação (nada de chocolate, tomate, kiwi, morango, banana, laranja, uva, maçã, abacate, frutas cítricas em geral, peixe, pimenta, frutos do mar, queijos amarelos, bebidas alcoólicas, corante amarelo, corante vermelho e refrigerantes). Buscávamos nesses alimentos encontrar a causa da urticária, porém também me foram pedidos exames de sangue, rins e fígado, já que a urticária poderia ser sintoma de outras doenças como leucemia ou lupus.

Descartadas as doenças de figado, sangue ou rins e com a confirmação do teste de Ige, ficou confirmada a urticária alérgica, que apesar do tratamento ainda persistia, isso levou a novos cortes como ovos e leite. Também a um exame de RAST específico para ovos (gema e clara), leite, carne de porco e cacau.
Foi quando resolvi buscar especificamente uma alergologista.

Já na consulta, com exames em mãos e após a descrição detalhada dos últimos meses (incluindo a dengue que precedeu a crise de urticária) recebi o diagnóstico de urticária crônica e a noticia de que não há previsão de cura completa.

Confesso que a frase "pode ser que você se cure em 6 semanas, 6 meses ou 30 anos... Tenho um paciente que demorou 20 anos para se curar!" me atingiram como uma bomba. Recebi as mais diversas recomendações, novos antialérgicos de uso contínuo pelas próximas 6 semanas e um novo corte na alimentação que se resume a essas 3 imagens:



Além da exclusão de atividades físicas intensas, banhos quentes ou longos, tomar sol, sauna, esforço físico, roupas apertadas, remédios não permitidos e stress (sim, não posso ficar nervosa).
Saí desnorteada do consultório, passei um sábado choroso mas depois de uma caminhada no parque minha cabeça foi voltando ao lugar já que me dei conta que entre as possibilidades, a urticária crônica era a menos pior.

Confesso que é difícil temperar as comidas sem alho e cebola mas estou me permitindo experimentar o novo e estou decidida a não me deixar abater por essa doença. Seja em 6 semanas, 6 meses ou 30 anos, vou me curar e ter uma vida normal.

Enquanto isso as pessoas ao meu redor tem me dado amor e me ajudado a adaptar meu cardápio agora que não posso comer fora de casa.
Essa é a nova rotina alimentar que trarei aos poucos para cá.
Pão de frigideira com fécula de batata

salada de tofu com cenoura e alface

pão de fécula de batata com mandioca

bolo de limão sem ovo, sem leite, com farinha de arroz

pão de inhame com polvilho


salada de alface, cenoura e batata


arroz (temperado só com sal), frango desfiado (temperado com limão,
 sementes de mostarda e alecrim) e batata e cenoura cozidas

doce de abóbora com açúcar mascavo






9 Comentários

Andreia B. disse...

Nossa Ana, ficou muito restritivo! Mas ainda bem que você é fera na cozinha. Tudo aí tá com uma cara deliciosa!

Te desejo melhoras! Que as coisas fiquem costumeiras e parem de ser uma dificuldade. Te adoro viu! Tô torcendo por você!

Quanto ao desafio, já que você não pode se esforçar uma caminhadinha diária de 20 a 30 min é o ideal pra manter o foco no corpo e na mente! Vai ser muito bem vinda! :)

M!a disse...

Oi Aninha, estarei orando por vc. Saiba que Deus está no controle de tudo. E é como vc falou, poderia ser algo pior. Mas isso vai te fortalecer e em breve espero poder compartilhar com vc a sua melhora.
E apesar de haver uma restrição imensa de alimentos, existem muitos outros que vc vai descobrir!
Um super beijo, que Deus te abençoe e te dê ânimo nesse momento para prosseguir em paz!
Um enorme beijo! ♥♥
Medite nesse texto quando precisar:
Filipenses 4.12 e 13
12.Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade.
13.Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece.

Bella disse...

Ana, mesmo que está bem restrita a dieta está tudo tão lindo! E essa de colocar a salada em potinhos é lindo demaaaaaais!!!!!!!!!!! Vc vai conseguir! Vai ver! Força aí! Beijo!

Opção? Ser magra! disse...

Já passei por todo esse calvário, e olha eu tenho um diagnóstico mais acertivo: casamento! Pode ser q não, parecer que não, mas pode ser muito sim sim sim! Antes do meu desenvolvi alergia as msm coisas: chocolate, ovo, trigo e uma agravada na lactose.

Uma alergologista me chamou de louca que eu não tinha NADA, mesmo com exames diversos e meu relato todo...

Pode ser soh uma externalização de um strees/ansiedade em niveis hard q vc nem sinta que esteja passando e do nada tudo vai sumir do msm jeito que apareceu!

<3
bjo

Bella disse...

Ana! Vi um documentário chamado: Gordo, doente e quase morto ( tem no youtube ) e o moço do filme tem essa alergia!!! Dá uma olhada, vale a pena! Beijo!

Cristiane Fonseca disse...

Ei Ana, minha querida. Desejo que vc melhore. Que vc se fortaleça e que jamais perca as esperanças. Desejo que vc não pense no pior e fique confiante na cura.

Tenho uma dica valiosa a voce: Receba JOHREI.

Johrei é uma energia divina transmitida pelo homem através das mãos. O Johrei purifica o espírito que reflete diretamente no corpo físico. Procure saber se alguem da sua familia já teve essa doença, e me conte no email rumoao70@gmail.com.

Fica com Deus.

Bella disse...

Saudades dos teus posts, espero que estejas bem! Beijo!

Renata das Graças Silvestre Advocacia disse...

Oi Ana, quinta-feira comecei a sentir muita coceira e apareceram muitas placas vermelhas de urticária pelo corpo. Estou tentando achar qual alimento fez isso comigo. Tenho quase certeza que é o ovo, ainda não fui ao médico, mas se demorar muito para eu descobrir, vou procurar um médico. Vc já está melhor? Ainda na restrição total? Melhoras e tudo de bom. Bjo

Renata das Graças Silvestre Advocacia disse...

Oi Ana, quinta-feira comecei a sentir muita coceira e apareceram muitas placas vermelhas de urticária pelo corpo. Estou tentando achar qual alimento fez isso comigo. Tenho quase certeza que é o ovo, ainda não fui ao médico, mas se demorar muito para eu descobrir, vou procurar um médico. Vc já está melhor? Ainda na restrição total? Melhoras e tudo de bom. Bjo