É engraçado como as coisas acontecem. Você se acostuma a tudo inclusive as coisas ruins, se impõe amarras mesmo sem precisar, aceita que precisa continuar desconfortável mesmo sem no fundo estar.
E é isso, eu estou desconfortável.
Desconfortável com o tudo, com o nada, com a minha pele e com tanto mais.
A questão toda é que eu inconscientemente sempre escolho essa posição desconfortável porque no fundo, bem lá no fundo, ainda acho que mereço ela. Ainda ouço aquela voz que grita dizendo que eu não mereço as boas coisas que conquisto.
Ouço a voz que escolho ouvir.
Enquanto mil outras vozes gritam o contrário eu me abraço a essa única, flerto sempre com essa negatividade que sempre me arrastou, com a voz que grita que não sou normal, que não pertenço, que está errado.
E eu sinceramente estou cansada de sempre voltar a ouvi-la.
Um ano atrás eu passava por um dos períodos mais conturbados da minha vida por ouvir vozes que endossavam a minha própria e que quase me empurraram por um abismo. E quer saber? Sobrevivi.
Sobrevivi a vergonha dos 5 anos de idade, sobrevivi ao abandono dos 9, ao medo dos 10, ao bullying dos 12, a dor lancinante dos 15, ao coração partido dos 19, a ansiedade dos 24 e ao precipício dos 26.
EU SOBREVIVI.
Então porque sempre acabo me abraçando a autossabotagem e escolho ouvir essa voz que me faz encarar tudo como se fosse tão finito, tão eterno, tão pesado?
Passei anos buscando a resposta pra isso e hoje cheguei a conclusão de que cansei. Cansei de buscar a resposta pra algo que eu não consigo determinar, não sei dizer se foi aos 5, aos 9, aos 10, aos 12, aos 15, aos 19, aos 24...Eu não quero mais saber quando começou, quero guardar só uma data: a de hoje.
Hoje é a data que escolhi pra marcar o dia em que isso acaba, escolhi essa data para ser o dia em que eu começo e pra começar acho que só tem algo sincero que eu posso dizer:

Ana eu te perdoo, por favor também me perdoe por anteriormente eu não saber como te amar.



3 Comentários

Bel-New Girl disse...

Oi Ana, prazer te reencontrar por aqui. Meu blog costumava se chamar Let's Emagrecer, mas este ano resolvi mudar.

Achei muito interessante esse seu post, ele ajuda a mostrar como as pessoas as vezes aparentam estarem super bem por fora, mas apenas cada indivíduo é capaz de saber o que se passa em seu coração. Me fez lembrar uma frase que diz: "Todo mundo que a gente encontra na vida está enfrentando uma batalha que você não sabe nada a respeito. Seja gentil com todo mundo. Sempre!". Eu jamais poderia imaginar que você também estivesse passado por um momento tão complicado recentemente.

Acho que a felicidade na vida nunca é plena, infelizmente sempre teremos momentos ruins, mas assim como você superou várias coisas vai continuar superando tudo o que de alguma forma possa te abalar. Por isso te desejo toda a força do mundo para poder enfrentar e superar seus medos e receios e que ao final de cada batalha você esteja mais fortalecida para aproveitar a vida com um grande sorriso.

Beijos
=)

Ayu disse...

O negativismo, a dúvida em si próprio e o costume de estar no lado negro dos sentimentos vicia. Eu, como você, sobrevivi ao tormento de várias idades. O problema é que não sei se sobrevivi da forma certa, se foi correto me arrastar assim, a força. O bom é que só acaba quando termina, e sempre há tempo para nos deixarmos chacoalhar pela antiga menina ávida dentro de nós.

Nanda Silva disse...

Oi Ana, que bom tê-la novamente por aqui. Faz um tempinho que estou fazendo o mesmo por mim e posso te dizer que vale muito a pena!!! Você é vencedora, acredite em você e que tudo pode dar certo sim!Beijo!